sexta-feira, 23 de junho de 2017

jardim particular

árvores da minha vida
cantos da minha estante
que seria de mim
se não vos tivesse como antídoto
para o medo


de qualquer modo

a razão da discussão está sempre no exagero
palavras aos gritos
sinceridade a mais
temperaturas acima dos 40 graus
ou frio de gelar o cérebro
de qualquer modo,
como é belo o ataque
quando a fúria faz sentido
e as palavras se tornam importantes
e os sujeitos pessoas reais
defeituosas e amargas
sensíveis e desejosas
mais humanas
do que a dormir


quinta-feira, 22 de junho de 2017

ataques de ciúmes

José veste calças e camisolas dos anos 80. O estranho daquela indumentária é que os tecidos têm bom aspecto, ao contrário dos cortes. As calças são ligeiramente à boca de sino; as camisolas largas e desproporcionais e as cores vivas e brilhantes. Um dia perguntei ao seu vizinho de secretária porque é que o José se vestia de uma forma tão desenquadrada, fora de época. Parece que há duas boas razões para se apresentar ao mundo dessa forma. Herdou um armazém de roupa do avó, que era proprietário de uma rede de lojas tradicionais. Dois: desde que começou a usá-las a namorada curou-se, curou-se dos ataques de ciúmes.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

lá fora

vou só ali ver o que não está aqui. há sempre esperança lá fora

rir para dentro

o meu namorado diz que as minhas piadas o fazem rir para dentro. as dele são melhores, defende, blá, blá, recorrendo a argumentos rebuscados, porque as dele fazem rir para fora. Gosto das dele, não posso dizer o contrário, porque é a mais pura das verdades, mas gosto também das minhas. as minhas piadas engolem-se.

quem te avisa

- hey, desculpe, tem o bolso da mochila aberto.
Disse-o com firmeza. Senti que estava a ser interrompida bem no meio de um pecado XL.
- obrigada, não tinha dado conta.
Encolhi-me. Foi a forma como se dirigiu a mim. Havia sobranceria. Estaria eu a cometer um erro, a dar abertura à actuação dos bandidos. A partir dali, disseminar-se-iam que nem bactérias. Foi uma sorte ainda não me terem enfiado as mãos na mochila e levado de lá o lenço das mãos amarrotado.
Segui-o enquanto subia as escadas. Fiquei atrás dele.
Uma reviravolta. O senhor que apanha descuidados tinha duas belas nódoas redondas, uma maior do que a outra, lado a lado, nas calças, na parte lateral do rabo.
- hey, tem duas nódoas nas calças, onde se senta.
Não lhe consegui dizer.